Tendência

Escolhendo melhor método anticoncepcional

Escolhendo o melhor método anticoncepcional, deve-se ter em conta a idade, o custo, a proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis, os efeitos colaterais, gravidez futura, a frequência do uso e se é reversível.




1. Mulheres que não podem tomar a pílula ou que têm muitos efeitos colaterais quando a tomam

Uma boa opção para as mulheres que não podem tomar a pílula ou que têm muitos efeitos colaterais quando a tomam é o implante. Outro método contraceptivo que pode ser usado neste caso é o diafragma, por ser um método de barreira e não hormonal. Porém, ele deve ser usado por mulheres que já tiveram relações sexuais.


2. Após o parto

O melhor método anticoncepcional pós-parto é a pílula de uso contínuo, como a Cerazette, a qual só contém a progesterona, para as mulheres que amamentam. Se a mulher não amamentar, o melhor método contraceptivo é aquele que era usado antes da gravidez.


3. Ovário policístico ou acne

Para as mulheres com ovário policístico ou acne, o melhor método contraceptivo é a pílula combinada, que contém os dois hormônios femininos, como a Diane 35 ou yasmin.


4. Mulheres que não querem tomar um anticoncepcional diariamente ou que se esquecem de tomar

Para as mulheres que não querem tomar o anticoncepcional todos os dias, como a pílula, pelo risco de se esquecerem, os melhores métodos contraceptivos podem ser o injetável mensal, o DIU, o adesivo, o anel vaginal ou o implante.


5. Mulheres que não querem se preocupar com a contracepção

Para as mulheres que não querem se preocupar com a contracepção, o melhor método contraceptivo pode ser o DIU que, se for de cobre, tem uma duração de 10 anos e, o hormonal, 5 anos ou o implante, que só deve ser trocado a cada 3 anos.


6. Após os 40 anos

O melhor método anticoncepcional após os 40 anos depende do histórico clinico da mulher, mas o DIU de cobre ou o DIU hormonal, chamado Mirena, são boas escolhas para a mulher com mais de 40 anos.


7. TPM forte e enxaqueca

Em caso de TPM forte e enxaqueca, os melhores métodos anticoncepcionais podem ser as pílulas de uso contínuo, como a Cerazette, o DIU hormonal ou Mirena, o implante.


8. Proteção contra as Doenças Sexualmente Transmissíveis

O único método anticoncepcional que protege contra as DST's é a camisinha, sendo assim, ela deve ser usada principalmente pelas mulheres ou homens com vários parceiros sexuais.


9. Endometriose

Para as mulheres com endometriose, o melhor método anticoncepcional é o DIU hormonal ou Mirena, pois este método bloqueia o crescimento do endométrio.


10. Contato íntimo desprotegido

Em caso de contato íntimo desprotegido, o método contraceptivo que deve ser usado é a pílula do dia seguinte que deve ser tomada até 72h após o contato íntimo desprotegido, para que a concepção possa realmente ser evitada.


Nenhum método anticoncepcional é 100% eficaz, principalmente, o método da tabelinha, o coito interrompido, o método sintotérmico e da temperatura, que não são recomendados, pois não são seguros nem eficazes.


É importante que a mulher consulte um ginecologista para discutir as várias opções de métodos contraceptivos e ter indicação de quais os mais adequados.


11. Desejo em não ter mais filhos

Para os casais que não desejam ter mais filhos, o melhor método anticoncepcional é a vasectomia ou a ligadura das trompas, pois estes métodos são irreversíveis. No entanto, nos casais jovens que ainda não foram pais e não desejam ter filhos, outros métodos anticoncepcionais devem ser usados como a pílula anticoncepcional, DIU ou implante, por exemplo, pois o desejo em ter filhos pode surgir.


12. Problemas vasculares ou doenças crônicas

Mulheres com problemas vasculares e doenças crônicas, como diabetes ou hipertensão, devem evitar os comprimidos anticoncepcionais, pois podem aumentar a hipertensão arterial e sobrecarregar o fígado. É preferível o DIU ou algum método de barreira como o preservativo.
Postagem Anterior Próxima Postagem