Google, Microsoft e Facebook apoiam Apple em duelo contra o FBI


Na semana marcada pelos duelos judiciais pela violação da privacidade em tecnologia, uma improvável aliança é realizada entre as gigantes de tecnologia do Google, Microsoft e Facebook. Isso é pedido para que eles investiguem um smartphone relacionado ao ataque terrorista ocorrido na cidade de San Bernardino, na Califórnia, no final do ano passado.

Google, Microsoft e Facebook publicaram um documento de apoio legal para a Apple com suas próprias visões sobre o problema, além de Box, outro gigante de tecnologia. A principal reclamação está na decisão do governo de transformar o Judiciário dos EUA em reescrever leis sem o devido debate público. Confira a expressão dada pelo conjunto de empresas em uma tradução livre da equipe AppTuts:

” O amici (um grupo que apoia a Apple) costuma competir vigorosamente com a Apple-e uma com outra. Mas amici neste ponto fala em uníssono por causa da importância única deste caso para nós e nossos clientes que confiam em nós para proteger seus dados e suas comunicações mais sensíveis a partir de ataques. Amici compartilha a mágoa e a mágoa do governo em relação ao terrível ato de terrorismo que ocorreu em San Bernardino, na Califórnia, em dezembro de 2015. e oferece total apoio à investigação legal deste crime. Mas amici está unida na sua opinião de que a ordem do governo para a Apple ultrapassa os limites da lei e, se aplicada em um âmbito mais amplo, prejudicará a segurança dos americanos a longo prazo. “

O objetivo da declaração é que, apesar do compartilhamento do desgosto ao crime, a criação de uma medida que possibilite aos usuários invadir a” Privataria pode abrir um precedente perigoso. Com a possibilidade de invadir o iPhone gerado, há uma oportunidade para que outros governos e organizações usem as medidas para os fins curvados.

A disputa está xingando: enquanto Google, Microsoft e Facebook são coletados, políticos e instituições e funcionários do governo e#8211; entre eles o polêmico candidato Donald Trump-advogado que a Apple criou a medida, então o FBI pode hackear o iPhone em questão.

Vale nos lembra que uma situação semelhante vivida em O Brasil, às custas da falha em falar com o que são essas aplicações relacionadas com o caso do tráfico de drogas.

Fonte:

Google, Microsoft e Facebook

.container