Introdução do curso cuidador de idosos


De acordo com o passar dos anos, as mudanças em diversos fatores vem contribuindo com a melhoria das condições sanitárias e de acesso a bens e serviços e com isso as pessoas têm vivido mais tempo. Os avanços na área da saúde têm possibilitado que cada vez mais pessoas consigam viver por um período mais prolongado, mesmo possuindo algum tipo de incapacidade.

Diante da situação atual de envelhecimento demográfico, aumento da expectativa de vida e o crescimento da violência, algumas demandas são colocadas para a família, sociedade e poder público, no sentido de proporcionar melhor qualidade de vida às pessoas que possuem alguma incapacidade. Desta forma, a presença do cuidador nos lares tem sido mais freqüente, havendo a necessidade de uma melhor capacitação dos profissionais que promovem este tipo de cuidado.

Cabe ressaltar que o cuidado no domicílio proporciona o convívio familiar, diminui o tempo de internação hospitalar e, dessa forma, reduz as complicações decorrentes de longas internações hospitalares.

O Idoso.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o idoso como “uma pessoa com 65 anos ou mais nos países desenvolvidos, e 60 anos nos países em desenvolvimento”.

O aumento dessa população vem sendo observado no mundo inteiro, o que ocorre em função da melhoria na qualidade de vida, somado ao avanço da ciência e tecnologia aplicados na área da saúde.

Segundo a OMS, estima-se que no Brasil, entre 1950 e 2025, o numero de pessoas idosas aumentará em 15 vezes, a população crescerá cinco vezes, levando o país a ocupar o sexto lugar em numero de pessoas idosas, atingindo 32 milhões de pessoas na faixa etária de 60 anos ou mais em 2025.

Alterações são inevitáveis e comuns a todas as pessoas que envelhecem, seus corpos não são mais tão flexíveis e seus movimentos não são mais ágeis. As articulações perdem mobilidade e elasticidade, as lesões degenerativas como a osteoporose transforma o osso de um estado consistente para esponjoso e deformado às vezes.
No aparelho bronco-pulmonar a deterioração é progressiva e irreversível, todo sistema respiratório sofre alteração, inclusive os pulmões que tem seu peso reduzido.
No aparelho cardiovascular a capacidade do coração diminui, a pressão se eleva, diminuindo a circulação sanguínea, a pele se enruga, perde a maciez e se resseca. O avanço da idade traz consigo a redução das aptidões físicas, declínio das capacidades funcionais, diminuição da massa óssea e muscular, elasticidade, circulação e movimentos das articulações; aumento de peso, maior lentidão e doenças crônicas.
Enfim a expectativa da aposentadoria à sensação de inutilidade, saúde frágil, diminuição da flexibilidade, massa muscular, força, estatura e lesões degenerativas variadas, dentre outros agravantes, fazem com que as pessoas da terceira idade tenham que buscar um
novo sentido para suas vidas.

O Cuidador de Idosos Conhecendo o Profissional

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego os Cuidadores de Idosos são aqueles que “cuidam de idosos, a partir de objetivos estabelecidos por instituições especializadas ou responsáveis diretos, zelando pelo bem–estar, saúde, alimentação,
higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida.”
O Ministério do Trabalho e Emprego reconhece essa ocupação desde 2001
(CBO5162-10 – Cuidador de Idosos – Acompanhante de idoso, Cuidador de pessoas idosas e dependentes, Cuidador de idosos domiciliar, Cuidador de idosos institucional, Gero-sitter), considerada relevante para um país como o Brasil, que tem 15 milhões de pessoas idosas, com estimativa de 31,8 milhões em 2025.
O Cuidador de Idosos é o profissional que trabalha com a população da terceira idade, fazendo o elo entre o idoso e a família, os serviços de saúde, os poderes públicos constituídos, os grupos de convivência e lazer e a comunidade em geral.

Ele está capacitado a atuar em diversas instâncias junto aos idosos no cuidado e assistência, nas atividades de convivência e lazer; aspectos da cidadania e das políticas públicas e criação de negócios direcionados para a população da terceira idade.
Esse profissional está capacitado para auxiliar o idoso que apresenta ou não
limitações nas atividades da vida cotidiana.
Oferece cuidado e/ou suporte ao idoso, desempenhando atividades relacionadas ao seu bem-estar físico, mental, social e legal, diretamente ou por meio de empresas voltadas a esse público.
Ele está apto, ainda, a lidar com idosos independentes ou dependentes, acamados ou não, inclusive em estado de demência, nas diversas instâncias de atenção – comunidade, hospital, clínica, domicílio e instituição de longa permanência, bem como se relacionar com os seus familiares e trabalhar em equipe multidisciplinar. O Cuidador de Idosos está habilitado a avaliar, construir e gerenciar negócios baseados no atendimento ao público da terceira idade. Além de conhecer e divulgar a legislação específica que garante os direitos dos idosos, esse profissional está capacitado, também, a subsidiar políticas públicas que visem assegurar os direitos da população da terceira idade.

Habilidade e competências.

Abaixo estão listadas tarefas que fazem parte da rotina do cuidador:
 Atuar como elo entre a pessoa cuidada, a família e a equipe de saúde.
 Escutar, estar atento e ser solidário com a pessoa cuidada.
 Ajudar nos cuidados de higiene.
 Estimular e ajudar na alimentação.
 Ajudar na locomoção e atividades físicas, tais como: andar, tomar sol e
exercícios físicos.
 Estimular atividades de lazer e ocupacionais.

 Realizar mudanças de posição na cama e na cadeira, e massagens de conforto.
 Administrar as medicações, conforme a prescrição e orientação da equipe de
saúde.
 Comunicar à equipe de saúde sobre mudanças no estado de saúde da pessoa
cuidada.
 Outras situações que se fizerem necessárias para a melhoria da qualidade de
vida e recuperação da saúde dessa pessoa.

O que é o Cuidado.

O cuidado é o verdadeiro instrumento dos profissionais cuidadores e deve ser
realizado envolvendo todos os aspectos do ser humano, com ênfase na promoção da
saúde física e mental da pessoa.
O cuidado se opõe ao descuido e ao descaso, pois cuidar é mais que um ato é
uma atitude. O cuidar abrange mais que um momento de atenção, de zelo e de desvelo,
o cuidado representa uma atitude de ocupação, preocupação, de responsabilidade e de
envolvimento afetivo com o outro. O cuidado se encontra na raiz primeira do ser
humano, antes que ele faça qualquer coisa, sem o cuidado, ele deixa de ser humano. Se
não receber cuidado, desde o nascimento até a morte, o ser humano desestrutura-se,
perde sentido e morre.
Se, ao longo da vida, não fizer com cuidado tudo o que empreender, acabará por
prejudicar a si mesmo e por destruir o que estiver à sua volta. Por isso, o cuidado deve
ser entendido na linha da essência humana; o cuidado há de estar presente em tudo.
Portanto, Cuidado significa atenção, precaução, cautela, dedicação, carinho,
encargo e responsabilidade. Cuidar é servir, é oferecer ao outro, em forma de serviço, o
resultado de seus talentos, preparo e escolhas; é praticar o cuidado.
Cuidar é também perceber a outra pessoa como ela é, e como se mostra, seus
gestos e falas, sua dor e limitação. Percebendo isso, o cuidador tem condições de prestar
o cuidado de forma individualizada,

a partir de suas idéias, conhecimentos e criatividade, levando em consideração as
particularidades e necessidades da pessoa a ser cuidada.
Esse cuidado deve ir além dos cuidados com o corpo físico, pois além do
sofrimento físico decorrente de uma doença ou limitação, há que se levar em conta as
questões emocionais, a história de vida, os sentimentos e emoções da pessoa a ser
cuidada.

Autocuidado

O auto-cuidado ou cuidar de si representa a essência da existência humana. A
pessoa acamada ou com limitações, mesmo necessitando da ajuda do cuidador, pode e
deve realizar atividades de auto-cuidado sempre que possível.
O bom cuidador é aquele que observa e identifica o que a pessoa pode fazer por
si, avalia as condições e ajuda a pessoa a fazer as atividades. Cuidar não é fazer pelo
outro, mas ajudar o outro quando ele necessita, estimulando a pessoa cuidada a
conquistar sua autonomia, mesmo que seja em pequenas tarefas. Isso requer paciência e
tempo.

A Equipe de Saúde.

As atividades que o cuidador vai realizar devem ser planejadas junto aos
profissionais de saúde e com os familiares. O ato de cuidar não caracteriza o cuidador
como um profissional de saúde, portanto o cuidador não deve executar procedimentos
técnicos que sejam de competência dos profissionais de saúde, tais como: aplicações de
injeção no músculo ou na veia, curativos complexos, instalação de soro e colocação de
sondas, etc.
Deve ficar claro para todas as atividades que o cuidador pode e deve
desempenhar. É bom escrever as rotinas e quem se responsabiliza pelas tarefas. É
importante que a equipe deixe claro ao cuidador que procedimentos ele não pode e não
deve fazer, quando chamar os profissionais de saúde, como reconhecer sinais e sintomas
de perigo.

As ações serão planejadas e executadas de acordo com as necessidades da
pessoa a ser cuidada e dos conhecimentos e disponibilidade do cuidador.

ESTATUTO E DIREITO DO IDOSO.

No Brasil, o Estatuto do idoso, de iniciativa do Projeto de lei nº. 3.561 de 1997 é
de autoria do então deputado federal Paulo Paim , foi fruto da organização e mobilização
dos aposentados , pensionistas e idosos vinculados à Confederação Brasileira dos
Aposentados e Pensionistas (COBAP), resultado de uma grande conquista para a
população idosa e para a sociedade .
Foi instituída na Câmara Federal , no ano de 2000 , uma comissão especial para
tratar das questões relacionadas ao Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos
assegurados às pessoas, considerando-se a idade cronológica igual ou superior a 60 anos
e de dispor de seus direitos fundamentais e de cidadania , bem como a assistência
judiciária.
Essa política vem aumentando aceleradamente a população idosa torna cada vez
mais fundamental, a união de esforços para a prática de políticas públicas voltadas a
este segmento populacional, assim como a conscientização dos seus direitos e espaços a
serem conquistados.
O Estatuto do Idoso, como o Estatuto da Criança e do Adolescente , é mais um
instrumento para a realização da cidadania.
O idoso possui direito à liberdade , à dignidade , à integridade , à educação , à saúde , a um
meio ambiente de qualidade, entre outros direitos fundamentais (individuais, sociais,
difusos e coletivos), cabendo ao Estado, à Sociedade e à família a responsabilidade pela
proteção e garantia desses direitos.
Pode-se afirmar que o cerne do Estatuto está nas normas gerais que referem sobre a
‘proteção integral’; a natureza e essência encontram-se no artigo 2º, quando estabelece a
sucessão de direitos do idoso e visualiza sua condição como ser constituído de corpo,
mente e espírito – já prevê a preservação de seu bem-estar físico, mental e espiritual – e
identifica a existência de instrumentos que assegurem seu bem-estar, o qual na lei seria:
“Art. 2o – O idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana,
sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhe, por lei ou
por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde,
em condições de liberdade e dignidade.”

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Art.4º Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação,
violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão,
será punido na forma da lei.
Art.10º É obrigação do Estado e da sociedade, assegurar à pessoa idosa a liberdade, o
respeito e a dignidade, como pessoa humana e sujeito de direitos civis, político,
individuais e sociais, dos espaços e dos objetos pessoais.
§2º O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e
moral, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, de valores,
idéias e crenças, dos espaços e dos objetos pessoais.
§3º É dever de todos zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a salvo de qualquer
tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
Art.15º É assegurada a atenção integral à saúde do idoso, por intermédio dos Sistema
Único de Saúde – SUS, garantindo-lhe o acesso universal e igualitário, em conjunto
articulado e contínuo das ações e serviços, para a prevenção, promoção, proteção e
recuperação da saúde, incluindo a atenção especial às doenças que afetam
preferencialmente os idosos.
§2º Incumbe ao Poder Público fornecer aos idosos, gratuitamente, medicamentos,
especialmente os de uso continuado, assim como próteses, órteses e outros recursos
relativos ao tratamento, habilitação ou reabilitação.
Art.19º Os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra idoso serão
obrigatoriamente comunicados pelos profissionais de saúde a quaisquer dos seguintes
órgãos:
 I – Autoridade Policial;
 II – Ministério Público;
 III – Conselho Municipal do Idoso;
 IV – Conselho Estadual do Idoso;
 V – Conselho Nacional do Idoso;

Art.74º Compete ao Ministério Público: I – instaurar o inquérito civil e a ação civil
pública para a proteção dos direitos e interesses difusos, individuais indisponíveis e
individuais homogêneos do idoso;
Art.230 da Constituição Federal “A Família, a sociedade e o Estado têm o dever de
amparar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo
sua dignidade e bem-estar e garantindo-lhes o direito à vida”.

Estatuto do Idoso

Após sete anos tramitando no Congresso, o Estatuto do Idoso foi aprovado em setembro
de 2003 e sancionado pelo presidente da República no mês seguinte, ampliando os
direitos dos cidadãos com idade acima de 60 anos. Mais abrangente que a Política
Nacional do Idoso, lei de 1994 que dava garantias à terceira idade, o estatuto institui
penas severas para quem desrespeitar ou abandonar cidadãos da terceira idade. Veja os
principais pontos do estatuto:
 Saúde
 Atendimento preferencial no Sistema Único de Saúde (SUS).
 A distribuição de remédios aos idosos, principalmente os de uso continuado
(hipertensão, diabetes etc.), deve ser gratuita, assim como a de próteses e
órteses.
 Os planos de saúde não podem reajustar as mensalidades de acordo com o
critério da idade.
 O idoso internado ou em observação em qualquer unidade de saúde tem direito a
acompanhante, pelo tempo determinado pelo profissional de saúde que o atende.
 Transportes Coletivos
 Os maiores de 65 anos têm direito ao transporte coletivo público gratuito. Antes
do estatuto, apenas algumas cidades garantiam esse benefício aos idosos, basta
que o idoso apresente qualquer documento pessoal que faça prova de sua idade.
 Nos veículos de transporte coletivo é obrigatória a reserva de 10% dos assentos
para os idosos, com aviso legível.

 Nos transportes coletivos interestaduais, o estatuto garante a reserva de duas
vagas gratuitas em cada veículo para idosos com renda igual ou inferior a dois
salários mínimos. Se o número de idosos exceder o previsto, eles devem ter 50%
de desconto no valor da passagem, considerando-se sua renda.
 Violência e Abandono
 Nenhum idoso poderá ser objeto de negligência, discriminação, violência,
crueldade ou opressão.
 Quem discriminar o idoso, impedindo ou dificultando seu acesso a operações
bancárias, aos meios de transporte ou a qualquer outro meio de exercer sua
cidadania pode ser condenado e a pena varia de seis meses a um ano de reclusão,
além de multa.
 Famílias que abandonem o idoso em hospitais e casas de saúde, sem dar
respaldo para suas necessidades básicas, podem ser condenadas a penas de seis
meses a três anos de detenção e multa.
 Para os casos de idosos submetidos a condições desumanas, privados da
alimentação e de cuidados indispensáveis, a pena para os responsáveis é de dois
meses a um ano de prisão, além de multa. Se houver a morte do idoso, a punição
será de 4 a 12 anos de reclusão.
 Qualquer pessoa que se aproprie ou desvie bens, cartão magnético (de conta
bancária ou de crédito), pensão ou qualquer rendimento do idoso é passível de
condenação, com pena que varia de um a quatro anos de prisão, além de multa.
 Entidades de Atendimento ao Idoso
 O dirigente de instituição de atendimento ao idoso responde civil e
criminalmente pelos atos praticados contra o idoso.
 A fiscalização dessas instituições fica a cargo do Conselho Municipal do Idoso
de cada cidade, da Vigilância Sanitária e do Ministério Público.
 A punição em caso de mau atendimento aos idosos vai de advertência e multa
até a interdição da unidade e a proibição do atendimento aos idosos.
 Lazer, Cultura e Esporte
 Todo idoso tem direito a 50% de desconto em atividades de cultura, esporte e
lazer.

 Trabalho
 É proibida a discriminação por idade e a fixação de limite máximo de idade na
contratação de empregados, sendo passível de punição quem o fizer.
 O primeiro critério de desempate em concurso público é o da idade, com
preferência para os concorrentes com idade mais avançada.
 Habitação
 É obrigatória a reserva de 3% das unidades residenciais para os idosos nos
programas habitacionais públicos ou subsidiados por recursos públicos.

MAUS TRATOS E VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO

Maus tratos.

Maus tratos são atos ou omissões que causem dano, prejuízo, aflição, ou ameaça
à saúde e bem-estar da pessoa. O mau trato pode ocorrer uma única vez ou se tornar
repetitivo, pode variar de uma reação brusca, impensada, até uma ação planejada e
contínua e causar sofrimento físico ou psicológico à pessoa cuidada. Os maus tratos
tanto podem ser praticados pelo cuidador, por familiares, amigos, vizinhos, como por
um profissional de saúde.
Os maus tratos podem estar relacionados a diversas causas, tais como: conflitos
familiares, incapacidade técnica do cuidador em desempenhar as atividades
adequadamente, problemas de saúde física ou mental da pessoa cuidada ou do cuidador,
desgaste físico e emocional devido a tarefa de cuidar, problemas econômicos, etc.

A violência contra o idoso.

É um comportamento que causa intencionalmente dano ou intimidação moral a
outra pessoa ou ser vivo. Tal comportamento pode invadir a autonomia, integridade
física ou psicológica e até mesmo a vida de outro. É o uso excessivo de força, além do
necessário ou esperado.
O termo deriva do latim violência (que por sua vez o amplo, é qualquer
comportamento ou conjunto de deriva de vis, força, vigor); aplicação de força, vigor,
contra qualquer coisa.

Tipos de Violência.

 Violência Física:
É o uso da força com o objectivo de ferir, deixando ou não marcas evidentes.
São comuns, murros, estalos e agressões com diversos objetos e queimaduras. A
violência física pode ser agravada quando o agressor está sob o efeito do álcool, ou
quando possui uma Embriagues Patológica ou um Transtorno Explosivo.
 Violência Psicológica:
A violência psicológica ou agressão emocional, tão ou mais prejudicial que a
física, é caracterizada pela rejeição, depreciação, discriminação, humilhação,
desrespeito e punições exageradas. É uma violência que não deixa marcas corporais
visíveis, mas emocionalmente provoca cicatrizes para toda a vida. Existem várias
formas de violência psicológica, como a mobilização emocional da vítima para
satisfazer a necessidade de atenção, carinho e de importância, ou como a agressão
dissimulada, em que o agressor tenta fazer com que a vítima se sinta inferior,
dependente e culpada.
 Violência verbal:
A violência verbal não é uma forma de violência psicológica. A violência verbal
normalmente é utilizada para oportunar e incomodar a vida das outras pessoas. Pode ser
feito através do silêncio, que muitas vezes é muito mais violento que os métodos
utilizados habitualmente, como as ofensas morais (insultos), depreciações e os
questionários infindáveis.
 Violência sexual
Violência na qual o agressor abusa do poder que tem sobre a vítima para obter
gratificação sexual, sem o seu consentimento, sendo induzida ou obrigada a práticas
sexuais com ou sem violência física. A violência sexual acaba por englobar o medo, a
vergonha e a culpa sentida pela vítima, mesmo naquelas que acabam por denunciar o
agressor, por essa razão, a ocorrência destes crimes tende a ser ocultada.
 Negligência:
É o ato de omissão do responsável pela criança/idoso/outra (pessoa dependente
de outras) em proporcionar as necessidades básicas, necessárias para a sua
sobrevivência, para o seu desenvolvimento. Os danos causados pela negligência podem
ser permanentes e graves.

TERMOS TÉCNICOS.

01-afagia = dificuldade de deglutir.
02- afasia = dificuldade na fala.
03-algia = dor.
04-anasarca = edema por todo o corpo, devido à infiltração.
05-anuria = ausência de urina.
06-apneia = ausência ou parada da respiração.
07-biopsia = é a retirada de tecidos vivos p/ exame histológico.
08- Bradicardia = diminuição dos batimentos cardíacos.
09- cacifo = depressão anormal da pele.
10- cefaléia = dor de cabeça
11-cianose =: É uma coloração azulada da pele ou das mucosas.
12 – disúria = dor na emissão da urina.
13 – êmese = ato de vomitar.
14- epistaxe = hemorragia nasal.
15- eructação = expulsão ruidosa de ar, gases ou acido do estômago.
16- erupção = denominação genérica de manchas ou bolhas.
17-escabiose = moléstia cutânea contagiosa.
18 – escara = denominação genérica de manchas, bolhas.
19 – estafa = fadiga, canseira.
20- edema = inchaço.
21- fecaloma = massa compacta de matéria fecal.
22–flebite = processo inflamatório das veias.
23- halitose = hálito de odor fétido.
24-hipertensão = aumento da pressão arterial
25-hipotensão = diminuição da pressão arterial.
26- hipertermia = aumento da temperatura corporal.
27-hipotermia = diminuição da temperatura corporal
28- hematêmese = vômito com sangue.

29- hematoma = acumulo de sangue no tecido.
30 – hematúria = presença de sangue na urina.
31- hemoptise = eliminação de sangue com expectoração.
32- hemorragia = saída de sangue pra fora do vaso sanguíneo.
33 – hiperemia = aumento da irrigação sanguínea de um órgão ou região do corpo.
34- icterícia = coloração amarelada que tomam os tecidos e conjuntiva.
35 – infecção = estado patológico determinado pela ação de agentes patogênicos.
36- melena = fezes com presença de sangue.
37 – micose = infecções na pele.
38 – náusea = conjunto de sensações que precedem o vômito.
39- necrose = morte local rápida e brusca.
40- neoplasia = crescimento anormal de células que podem ser benigna ou maligna.
41- obesidade = aumento do peso corpóreo.
42- paralisia = parada total ou parcial da atividade muscular motora.
43- paraplegia = paralisia de membros inferiores.
44 – pediculose = conjunto de lesões cutâneas, provocada por piolhos.
45 – pirose = azia.
46- piúria= pus na urina.
47- polifagia = aumento do apetite.
48 – poliúria = aumento da urina.
49 – rubor = avermelhamento local.
50 – SIDA = AIDS
51 – sutura = aproximação de bordos de um ferimento.
52 – taquicardia = aumento da frequência dos batimentos cardíacos.
53– tenesmo = desejo doloroso e ineficaz de urinar ou evacuar.

.container

Deixe Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.